01/06/2006

Só o Amor é Real (Brian L. Weiss, M. D.)


Ternamente ele segura-lhe a mão pela primeira vez. A memória desse toque corre o infinito, transcende o tempo. Alardeia-se pelo universo. Ela olha-o nos olhos e instintivamente o reconhece de eras remotas. Ele pode não reconhecê-la de imediato, mas seus braços se arrepiam e tudo o mais além perde a importância...
Quando ambos se reconhecem nenhum vulcao poderá conter tanto furor, tanta paixão. Tamanha a energia que é liberada. Nada no mundo é empecilho para o eclodir de tantas emoções!
Só o Amor é Real - conta a história de um casal que não se conhecia e fazia terapia com o mesmo médico, em dias alternados, portanto, nunca os dois tinham-se visto.
Trabalhando com terapia regressiva, o Dr Brian os fez lembrar outras vidas. E numa destas, na Palestina, suas narrações se encaixam perfeitamente, pela época histórica, pelos detalhes, pelos nomes, etc.
Pedro estava quase terminando o tratamento e iria voltar prá sua Terra, o México. Estava bem mais sereno, mas não havia encontrado o seu grande amor.
Eliabeth, vinda de relacionamentos fracassados, apesar das expressivas melhoras, continuava instintivamente a se proteger dos homens.
O Dr. Brian nunca havia trabalhado com pessoas afins que não se conheciam na vida presente. Estudando as suas histórias passadas, compreendeu que eles estiveram juntos, talvez em muitas vidas. As recordações de Pedro e Elisabeth interligavam-se de modo especial. Suas descrições, acontecimentos, nomes, tudo vinha a confirmar as suspeitas... Tinham sido pai e filha na Palestina longínqüa ao tempo de Jesus, há 2000 anos.
Mentes mais evoluídas preparavam o seu reencontro. Um vôo cancelado, no qual Elisabeth viajaria, fez com que os dois se encontrassem no aeroporto, seus olhares se cruzam e tudo vem à tona... As almas gêmeas se reencontram. Alguns dias depois quando Elisabeth liga ao doutor Brian e identifica o namorado, já estão apaixonados!
alice martins

Nenhum comentário:

Prece belíssima!

"O lírio que floresce no lodo é uma estrela de Deus que, brilhando no charco, jamais se contamina." (André Luiz)

Meu coração é uma estrela

Meu coração é uma estrela, e eu fui criado para o bem e para a luz!...
Não fui criado para o mal, nem para a corrupção.
Não recebi uma alma para transfigurá-la em espectro do lodo.
Não fui feito para o vício e a degradação.
Meu corpo é santuário sagrado criado para a exteriorização do amor e da luz.
Meus sentimentos são pérolas que não devo dividir com a imundície.
Meu pensamento é matéria sutil que devo dirigir para as criações superiores.
Minha vontade é alavanca que deseja meu Deus me projete no rumo da paz e da glória.
Situou-me Ele no mundo para que eu me livre do animal que ainda sou e não que o perpetue em mim.
Preparou-me Ele o espírito para a perfeição da angelitude e não para a degradação infamante da forma.Soprou-me na mente o progresso e não o gelo da estagnação.
Portanto, estou no mundo em aprendizado e não em escravidão; em busca da luz e não das trevas; forjando a sublimação e não o retrocesso.
Situa-me, Senhor, dentro desta verdade, e me ampara os caminhos para que eu não ceda às tentações do mundo.
Que eu sirva quanto esteja em mim servir; que eu ame quanto possa; que estenda as mãos e ampare sempre; que esteja próximo quando necessitado; que eu caminhe distribuindo o melhor de mim; que possam contar comigo todos os irmãos do mundo, mas te peço Pai:
não permite que eu me iluda, me vicie e me perca nele, por ingenuidade ou invigilância, e assim, cego, equivocadamente substitua valores e me afaste de Ti, cada vez mais, para meu próprio prejuízo e infelicidade!...

Assim seja!

Prece ditada por André Luiz - Instituto de Estudo, Pesquisa e
Divulgação Espírita André Luiz - Curitiba, PR


PayPal Logo

Cadastre-se no PayPal e comece a aceitar pagamentos com cartão de crédito instantaneamente.

OBRAS BÁSICAS

Leia e divulgue as obras básicas da doutrina espírita. "A maior caridade que podemos fazer em relação à Doutrina é a sua própria divulgação"